O homem não vive somente de pão; a História não tinha mesmo pão; ela não se alimentava se não de esqueletos agitados, por uma dança macabra de autômatos. Era necessário descobrir na História uma outra parte. Essa outra coisa, essa outra parte, eram as mentalidades\" Jacques Le Goff

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Escola Estadual Fred Gedeon
Série: 2º ano A (vespertino)
Professor: Genivaldo Pereira dos Santos
Disciplina: História
Componentes: Naiara e Rilory
Proposta de Trabalho - Filme Documentário: QUILOMBOS DA BAHIA
Direção e Roteiro: Antonio Olavo
Tarefa: Registro das principais contribuições para a visibilidade e valorização da memória negra na Bahia
A história nos conta que desde o inicio da escravidão no Brasil, os negros foram muito maltratados, humilhados, tratados como animais, e sem “liberdade”. Mesmo depois da lei Áurea não mudou muita coisa, e eis que surge Zumbi dos Palmares para felicidade dos negros de quem eles esperou que lhes tolhia a sonhada liberdade. No filme Quilombos da Bahia é fácil perceber a simplicidade do povo Quilombola que são humildes até em falar. Muitos deles no seu olhar ainda havia temor ao falar “do cativeiro”.Vimos que o termo Quilombo é novo para eles, pois são pessoas de linguagem pobre, usam palavras como: cuma, vosmecê, parentesa,etc. Com a influência dos negros os quilombolas desenvolveram sua cultura, musicalidade, culinárias, danças e a religiosidade que era evidente em todas as casas dos Quilombos com uma fé muito diversa, um povo unido e companheiro “os Quilombolas”.

2 comentários:

rnd disse...

a opnião foi bem espressada.
parabéns, gostamos.

Ronaldo Alves disse...

conserteza os negros sofreram, e até hoje sofrem, foram felizes com esse comentário que fizeram.
parabéns.

Ha!!!!
vocês também falaram de zumbi.